terça-feira, 19 de julho de 2011

Certezas que geram orgulho

Natura Musical no dia dos namorados foi uma grade surpresa pra mim. Na verdade; não só por ter me dado a certeza de que eu veria a Maria no dia dos namorados, mas por ser no dia 12 de Junho.
Poxa; Maria Gadú no dia dos namorados é de tirar o fôlego!

Sabe quando você fica preocupada se vai conseguir algo, e fica ansiosa, tensa.. ?
nesse Festival da Natura eu fui convicta de que eu não precisaria me preocupar; pois eu conseguiria ver a Linda da Maria mais uma vez. Foi diferente de todas as outras vezes, porque de costume eu fico louca, preocupada, ansiosa, e enfim..

Cheguei lá, encontrei com algumas amigas e fomos comprar algo pra beber e bem mais tarde, depois que uma Orquestra já havia se apresentado, fomos pra perto do palco, aliás, como de costume fomos pra frente do palco.
E assim esperamos um bom tempo até que o Fofo do Milton Nascimento subisse ao palco e se apresentasse, convidando a Roberta Sá para cantar junto com ele e só depois a Maria, linda como sempre entrasse em cena; cantando junto com ele também.
Quando a Má subiu no palco e começou a cantar o público foi a delírio, parecia que todos estavam ali, esperando só por ela. Era berros, lágrimas, sorrisos, cartazes. Foi incrível! Era uma energia gostosa.
Depois que a Maria se despediu, fomos atrás dela e quando cheguei lá, me disseram que ela estava indo embora, se eu tivesse demorado um pouco mais; não teria encontrado ela lá. Tentei falar com ela do jeito mais fácil, como de costume, mas infelizmente não consegui.
Então fiquei em frente ao portão de Saída, onde havia meia duzia de seguranças, mal educados e chatos. (Grrr!)

Esperei um bom tempo e vi minha Maria vindo em direção a saída, cheguei até ela e perguntei:

- Má, você lembra de mim?

Depois de me encarar bastante ela respondeu: - Cara! Você sobreviveu?

Então veio quatro seguranças, me empurrando e me afastando dela, e com isso eu disse:

- Maria, os caras não me deixam falar contigo. Desse jeito eles vão me machucar. Preciso te abraçar!

Ela disse: - Ôh, deixa ela vim aqui! Pode deixa ela aqui.

Antes dela terminar de falar, eu passei por baixo do braço do segurança e abracei ela tão forte, que não aguentei e comecei a chorar; ela então me pediu para que não chorasse, e tirei então uma foto com ela.


E depois que ela atendeu a três amigas minhas e algumas pessoas que estavam ali esperando; ela foi descer um degrau pra entrar no carro e segurou meu braço e disse:

- Peraí! Deixa eu descer aqui, se não caiu que nem aconteceu com você aquela vez.

Ela ficou entre a porta do carro que estava aberta e o carro, soltou meu braço sorrindo; só então percebi que ela estava o tempo todo com uma garrafinha de água na mão, que pelo visto ela já havia bebido a metade.

Olhei pra Má e disse: - Má, me da sua garrafinha de água?

Ela estendeu o braço, me entregando a garrafinha e disse: - É Claro, toma!

E então ela se despediu, entrou no carro, mandou beijo e se foi..


Vou confessar pra vocês que estou obesa. Obesa de saudades dela.
Essa saudade não tem fim.

3 comentários: